sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Coluna Tradição e Cultura do Jornal A Semana de Alvorada RS - 05.01.18



Breve História do Acordeon (1)
Alzeneide Benck e Edu Vicente, dos Pampeiros - São José dos Campos - SP
 Na Itália, na cidade de Cremona, eram fabricados os acordeões “SAVOYA”, famosos em toda a Europa e os primeiros a serem produzidos naquela região. A partir de 1875, em nossa região, começaram a chegar os imigrantes italianos e com eles a divulgação do acordeão. Em Santa Tereza, (hoje Município, na época Distrito de Bento), às margens do Rio Taquari, fixou residência o casal de imigrantes Cesare Apppiani e Maria Savoya, filha do fabricante dos acordeões de Cremona. Os primeiros acordeões “Appiani Cesare e Savoya Maria”, em Santa Tereza, montaram uma pequena fábrica e mantiveram as características daqueles produzidos na Itália. Em Veranópolis, Túli Veronese possuía uma oficina de consertos de gaitas que vinham de todas as partes da região, tendo mais tarde fabricado em larga escala os acordeões “VERONESE”. 

Na mesma época, no interior de Bento Gonçalves, na linha 15 da Graciema, Luigi Somenzi consertava os acordeões e ensinava as primeiras montagens com o auxílio de dois rapazes: Arcibaldo Somenzi e Luiz Matheus Todeschini. Arcibaldo Somenzi, sobrinho de Luigi Somenzi, mais tarde viria a adquirir a fábrica de Maria Savoya de Santa Tereza e a instalaria em Getúlio Vargas- RS, onde saíram os acordeões “SOMENZI”.

Entretanto, Luiz Matheus Todeschini continuou trabalhando com Luigi Somenzi, e desta oficina surgiu a grande fábrica de “Acordeões Todeschini”. A grande fábrica de Acordeões TODESCHINI que LUIZ MATHEUS TODESCHINI construiu, iniciou, na Linha 15 da Graciema, quando em 1916, chegou juntamente com seus pais oriundos de Alfredo Chaves, hoje Veranópolis. Contando com apenas 13 anos, LUIZ MATHEUS TODESCHINI, começou a trabalhar na oficina de Luigi Somenzi, onde relógios, bombas de sulfatar, motores e acordeões (gaitas) eram consertados com bravura, pois, muitas vezes, tinham que improvisar peças para recuperar o que os fregueses deixavam para o conserto. 

Para o conserto e montagem dos acordeões era necessário aço e celuloide e estes eram importados da Itália. Somenzi foi por duas vezes àquele país em busca de novidades para a indústria que estava crescendo. No ano de 1925, “Cinquentenário da Imigração Italiana”, realizou-se em Porto Alegre uma grande exposição, onde Somenzi foi convidado a expor uma “gaita” de sua fabricação. Foi TODESCHINI quem montou a primeira “gaita pianada”, com teclas de madrepérolas (até então eram botões de louça ou de osso). O modelo para a região, era novo, pois era composto por 37 teclas e 80 baixos. Acordeões neste estilo só eram fabricados na Itália e na Alemanha. Os resultados foi a medalha de ouro para a magnífica produção. Chasque publicado no Semanário, por Assunta de Paris – www.semanario.com.br

66º Congresso Tradicionalista Gaúcho
 
         Como é de praxe a cada início do ano, o calendário tradicionalista nos leva a uma cidade do interior do Rio Grande para a realização do Congresso Tradicionalista. E em 2018, São Jerônimo – 2ª Região Tradicionalista, abrirá as porteiras para os tradicionalistas, pois vai sediar a 66ª edição, de um evento que nasceu em Santa Maria / RS, no ano de 1954 (que contou com 38 centros de tradições gaúchos presentes). O evento será realizado nos dias 12, 13 e 14 de janeiro, no Ginásio Municipal de Esportes do município. 

Por Valdemar Engroff - o Gaúcho Taura

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Coluna Tradição e Cultura do Jornal A Semana de Alvorada RS - 29.12.17



Chasque dos Vigilantes Comunitários

A gente custa a aprender lições ao longo de nossas vidas, já dizia meu falecido pai: "filho, esperteza é tirar lição do tombo dos outro e não tombar". Com essa frase do meu querido velho, eu, Alex Steffani, venho hoje pedir um minuto da atenção de todos vocês que estão lendo esse post (chasque). Não foram poucas as grosserias e cusparadas que tomei desde que começamos esse trabalho voluntário nos vigilantes e hoje vejo inclusive voluntários nossos sofrendo o mesmo tipo de repreensão de uma minoria inerte e acéfala que o bairro possui. Quero dizer a todos meus amigos que aprendemos o caminho das conquistas, aprendemos o caminho da lei do retorno, aprendemos que transparência é dever e não favor. Aprendemos que quando falamos baixo, as pessoas se aproximam para escutar melhor. Aprendemos que confiança não se ganha, se conquista, e tudo isso que nós os Vigilantes estamos proporcionando de retorno ao bairro não existiria sem uma palavra: "BASE". A nossa base é forte e rígida. Não ouvimos o NÃO. Não sabemos oque é desistir. Não provamos o gosto amargo de ver o vizinho cortar grama da praça e não ajudar. Não provamos do gosto podre da fofoca e do mimimi. Não provamos da falta de hombridade de esperar pelos outros. Enfim, nossa base é o começo de tudo. É o alicerce das nossas construções. Falem o que quiserem dos Vigilantes. Só não falem que não fizemos história em terra de ninguém. Em breve câmeras operando. Este é um chasque do líder dos Vigilantes Comunitários, Senhor Alex Steffani.

Vigilantes Comunitários é um grupo de segurança preventiva, que se criou nos bairros Jardim Algarve, Porto Verde e imediações. Para fazer parte, procure os Vigilantes Comunitários no Sítio Facebook.

Primeiro Seminário Tradicionalista
          As prendas e peões do CTG Sentinelas do Pago estão organizando e será realizado no dia 05 de janeiro do ano vindouro o Primeiro Seminário Tradicionalista. Na programação, às 20h – recepção e credenciamento; às 20h15min – abertura oficial; às 20h30min – palestra com o Presidente do MTG, Senhor Nairo Callegaro, onde abordará “51 anos do MTG e sua contribuição para a comunidade”. O CTG fica na Rua Porto Alegre, 216, no bairro Maria Regina.

Domingueira de verão 


         O CTG Gomes Jardim, vai realizar no dia 07 de janeiro, das 20h30min até a meia noite, grande domingueira. Na animação Joca Martins, João Luiz Correa e grupo Campeirismo. O CTG fica na Rua Santa Maria, bairro Bom Fim Velho, em Guaíba.

66º Congresso Tradicionalista Gaúcho

         Como é de praxe a cada início do ano, o calendário tradicionalista nos leva a uma cidade do interior do Rio Grande para a realização do Congresso Tradicionalista. E em 2018, São Jerônimo – 2ª Região Tradicionalista, abrirá as porteiras para os tradicionalistas, pois vai sediar a 66ª edição, de um evento que nasceu em Santa Maria / RS, no ano de 1954 (que contou com 38 centros de tradições gaúchos presentes). O evento será realizado nos dias 12, 13 e 14 de janeiro, no Ginásio Municipal de Esportes do município.
         O Congresso é o maior evento administrativo do Movimento, que reúne as entidades tradicionalistas filiadas, espalhadas pelas trinta regiões tradicionalistas em todo o nosso Estado, que tem por objetivo traçar as diretrizes, rumos e princípios do Movimento para o ano que se inicia, propiciando o debate e a divulgação de ideias, trabalhos, pesquisas, sugestões, teses e temas da área tradicionalista e também a escolha via eleição de nova patronagem (diretoria) para o ano.

       Feliz ano novo a todos os leitores desta coluna e do Jornal A Semana de Alvorada. Um abraço deste colunista - Valdemar Engroff

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Coluna Tradição e Cultura do Jornal A Semana - Alvorada RS - 22.12.17




CTG Campeiros do Sul

         O CTG Campeiros do Sul programou para o dia 23 de dezembro, às 17h, da chegada do papai Noel. Se aceita brinquedos, balas, guloseimas em geral, para doar pras crianças carentes da comunidade. Podem levar no CTG, que fica na Av. Maringá, 720, até o dia do evento. Além dos presentes, teremos doces e refrigerantes para a criançada.

Mais uma etapa vencida na Assembleia Legislativa

O Projeto de Lei para que os CTGs tenham acesso a recursos do Sistema Estadual Unificado de Apoio e Fomento às Atividades Culturais (Pró-Cultura), foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa. A proposição é de autoria do deputado Gilmar Sossella (PDT) e permite solicitar recursos do Pró-Cultura para construção, restauro, preservação, conservação e reforma de entidades tradicionalistas. Para virar lei, o projeto precisa agora ser aprovado em plenário (pela maioria dos parlamentares) e ser sancionado pelo governador. Fonte!  Chasque Pampeano em 05/12/17: www.chasquepampeano.com.br

Chasques do Movimento Tradicionalista Gaúcho

O Movimento Tradicionalista Gaúcho publicou em seu site os editais de convocação para o 66º Congresso Tradicionalista Gaúcho e para a Assembleia Geral Eletiva. Os eventos acontecerão de 12 a 14 de janeiro em São Jerônimo.
Segundo o edital da Assembleia Geral Eletiva do Conselho Diretor e Junta Fiscal do MTG, estão convocadas as entidades tradicionalistas a se fazerem representar por seus delegados. O credenciamento será permitido até as 12hs e o processo eleitoral ocorre entre 14hs e 17hs do dia 13 de janeiro de 2018, sábado, no Ginásio Municipal de Esportes. As chapas deverão ser encaminhadas para registro na Secretaria Geral do MTG, por requerimento de, no mínimo, dez entidades filiadas efetivas, até oito dias antes da data e hora marcada para a Assembleia Geral Eletiva.
Para o Congresso, tradicionalistas interessados em encaminhar proposições têm prazo até o dia 13 de dezembro. Confira os documentos: Convocação para o Congresso: http://www.mtg.org.br/noticias/385; Convocação para Assembleia: http://www.mtg.org.br/noticias/386. Fonte! Sítio Cantinho Gaúcho! www.cantinhogaucho.blogspot.com

Primeiro Seminário Tradicionalista

         As prendas e peões do CTG Sentinelas do Pago estão organizando e será realizado no dia 05 de janeiro do ano vivndouuro o Primeiro Seminário Tradicionalista. Na programação, às 20h – recepção e credenciamento; às 20h15min – abertura oficial; às 20h30min – palestra com o Presidente do MTG, Senhor Nairo Callegaro, onde abordará “51 anos do MTG e sua contribuição para a comunidade”. O CTG fica na Rua Porto Alegre, 216, no bairro Maria Regina.

Divulgação da Regional em ótimas mãos

         De 2000 a 2007 fomos o responsável pela Divulgação da Primeira Região Tradicionalista do RS. Foi numa época que não tinha Orkut, Facebook, blogs a revelia, nada. Era um computador pessoal e ferramentas como word. Fazíamos um “jornal” em word e este era publicado em uma página “oficial” da Primeira Região, construída e atualizada pelo craque dos poemas gaúchos e em informática Fernando Araújo. Em 2008 assumiu o comando o meu amigo Paulo Guimarães, criador do Chasque Pampeano, um jornal virtual bagual tradicionalista (www.chasquepampeano.com.br). E para a nossa alegria, dez anos após, o Paulo assumirá novamente o comando da Divulgação na Coordenadoria Regional em 2018. E pode contar conosco na divulgação do tradicionalismo de Alvorada nesta árdua tarefa.